InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Vida

Ir em baixo 
AutorMensagem
Heibel

avatar

Feminino Câncer Cobra
Idade : 29
Mensagens : 27

MensagemAssunto: Vida   Qui Abr 28, 2011 10:30 pm

Dahlia foi gerada em Noskort, na época em que sua mãe havia se tornado veela. Seu pai, na realidade, é Eric Callihan, mas Daren assumiu a criança como sua filha e ele e Charlie resolveram juntos que jamais contariam a verdade para a menina. Dahlia Flynn Orlandinny Tholle nasceu em Ruvkegilli, mas muito pouco tempo depois de nascer mudou-se com Charlie e Daren para Fargowood. Nessa época, ambos os pais eram veela, mas Charlotte abriu mão disso alguns meses depois de dar à luz a sua primeira filha. Daren ainda continuou veela por algum tempo, até que desistiu também e voltou a ser bruxo.

Os três viviam num casarão em Fargowood que pertencia à família Flynn há várias gerações. Foi construída por Ammadeus Flynn e abrigou sua família de cinco filhos por longos anos. Quando Ammadeus faleceu a casa foi passada ao filho mais velho, Lionel Flynn, que viveu ali até 1961, quando morreu. Anthony Flynn, seu filho mais velho, herdou a residência e morou ali até 2007, quando também faleceu. Seu único filho recebeu a casa, Colin Flynn, mas não chegou a morar na mansão nessa época, já que Charlotte Flynn, sua única filha, voltava para a cidade naquele momento, com uma filha recém nascida nos braços. Como sabia que ela adorava aquele casarão, deu a casa de presente para ela, Daren e a pequena Dahlia.

Os primeiros anos de sua vida foram muito calmos, Fargowood é um vilarejo pacato. Então, em 2010, Dale Flynn Orlandinny Tholle nasceu, irmão de Dahlia, filho de Charlie e Daren. Nessa época, Henry Kalakaua, Darius LePennec-Grantham e Rachel Merriworth Gosling já eram nascidos e tinham idades próximas, então os pais - amigos - sempre levavam os filhos para se encontrar e brincar juntos.

Dahlia e Darius davam-se muito bem, sempre foram muito ligados. Com o irmão, Dahlia era cuidadosa e atenciosa, mimando-o talvez até mais que os pais. Adora Rachel e tem um carinho todo especial por ela e por Henry também, assim como por Leyla, Leonard, Caleb e Blake, que nasceram mais tarde.

Aos 4 anos os pais a matricularam na escolinha de Fargowood, Randolfh Mercer Elementary School of Witchcraft, e foi ali que ela aprendeu a ler, escrever e todo o básico de matemática, geografia, história, ciências, inglês, artes e até mesmo música e dança. Sempre foi uma aluna destaque, considerada uma das melhores da escola.

Desde muito pequena, Dahlia demonstrava grande paixão pela natureza, pelas plantas e animais. Em especial, por borboletas. Também foi notado que tinha uma voz muito bonita para o canto, coisa que fazia a todo o momento.

Sempre foi uma criança responsável e calma. Não desobedecia os pais e sempre foi muito preocupada com regras e leis, sem quebrar nenhuma propositalmente. A avó - mãe de Charlie - adorava ensinar etiqueta para ela, a considerando uma verdadeira lady.

Como sempre foi muito interessada em aprender coisas novas, volta e meia recorria a livros bem mais avançados do que a sua idade para tentar entender alguma coisa. Enchia os adultos de perguntas sobre tudo, sempre.

Seu primeiro sinal de magia aconteceu aos cinco anos, quando fez um bolinho vir levitando até sua mão. Somente o pai estava presente, mas saiu festejando pela casa, chamando por Charlie para contar o que tinha acontecido.

Assim que foi convidada para estudar em Salem, aos 11 anos, ficou perturbando os pais para comprar uma varinha logo. Queria aprender magia, tinha uma ansiedade por saber fazer feitiços desde muito pequena.

Foi selecionada para a casa dos alunos mais aplicados da escola, a Zantedeschia. Como Salem não é um colégio interno, Dahlia voltava para casa todos os dias no final da tarde, então ainda via e brincava com seus amigos mais novos às vezes. Ficava longe apenas de Henry, por ele ser um ano mais velho e já estar estudando em Net's Moa nesse período.

No primeiro ano na escola conheceu Vincent Land, um garoto do terceiro ano, da mesma casa que ela. Passavam horas conversando, tinham o amor pelos livros em comum. Vince foi o melhor amigo de Dahlia em Salem.

No ano seguinte, Rachel passou a estudar em Salem e a amizade entre as duas cresceu. Dahlia a ajudava com as tarefas e tudo o mais. Darius foi aceito em Hogwarts e a partir de então, encontravam-se apenas nas férias de verão e inverno.

No terceiro ano, Dale começou a estudar em Salem também, pela Cobaea. E foi nesse mesmo ano que Dahlia deu seu primeiro beijo no amigo Vincent. Sentiu que aquilo era tão errado, se sentiu tão culpada, que não contou para ninguém, afinal, era apaixonada por Darius desde sempre e queria que tivesse sido com ele.

O quarto ano transcorreu tranquilamente. A amizade com Vince nunca foi interrompida, eles simplesmente fingiam que nada tinha acontecido. Dahlia continuava com suas excelentes notas, estudiosa e aplicada.

Nas férias, Dahlia, Dale, Rach, Leo, Henry, Leyla, Darius, Caleb e Blake se encontravam quase todo os dias, como sempre. Às vezes, Aimée - filha de Damian - Raphaela e Daniel - filhos de Laurel - e os Varanese os encontravam também e era sempre muito divertido.

Dahlia estava muito alegre no início do quinto ano. Foi nomeada monitora da Zantedeschia e sentiu-se absolutamente orgulhosa e feliz por isso. Nas férias de inverno, aos 16 anos, no dia 31 de dezembro de 2023, foi dada a habitual festa de ano novo/aniversário de Darius no haras da família LePennec-Grantham. Dahlia presenteou o garoto com um Espelho de Duas Faces, a fim de que a comunicação entre eles fosse mais fácil e rápida. Na mesma noite, pela primeira vez, eles se beijaram. Não contaram para ninguém, mas continuaram juntos por dois dias, até Darius ter que voltar para Hogwarts e Dahlia, para Fargowood.

Durante a segunda parte do quinto ano, escrevia cartas para Darius duas ou três vezes por semana e, sempre que podiam, se comunicavam pelo espelho. Mas após cerca de três meses as correspondências diminuíram muito e eles quase nunca conversavam. Então as férias de verão chegaram e eles se reencontraram, mas havia um clima esquisito entre eles. Dahlia morria de ciúme das amigas dele de Hogwarts, porém, não admitia. Também não sabia se deveria tratá-lo como amigo ou seguir seu coração. Sem conversar sobre o assunto, continuaram a se tratar como amigos, como sempre. Então, numa noite quase no final das férias, todos foram para a casa dos Kalakaua e, enquanto os adultos conversavam, os jovens foram para o quarto de Henry. Em algum momento, alguém deu a ideia de brincar de Verdade ou Desafio e, por causa da brincadeira, Darius e Dahlia deram um selinho. Depois disso, se beijaram mais vezes, porém alguns dias depois cada um teve que voltar para sua casa e escola novamente.

Entre o quinto e o sexto ano, a menina cresceu muito e se tornou uma jovem muito bonita, que chamava a atenção por onde passava. Não que isso não acontecesse antes, mas nessa fase isso se intensificou. Não tinha um garoto na escola que não quisesse ficar com Dahlia, mas ela não dava muita bola para nenhum deles.

O sexto ano começou. Vincent havia se formado no ano anterior, então Dahlia só tinha amizade real, basicamente, com Dale e Rachel. O irmão passou nos testes de quadribol e entrou para o time oficial da casa, o que deixou Dahlia absolutamente orgulhosa.

Darius e ela passaram a se falar pelo menos uma vez por semana através dos espelhos. Numa dessas noites, cerca de dois meses depois, Dahlia chamou o nome dele e uma garota respondeu, dizendo em tom malicioso que ele estava ocupado tomando banho. Naquele dia, Dahlia teve certeza de que Darius não a amava e chorou por dias, sem querer fazer nada além disso, nem ir à escola. Darius tentou entrar em contato com ela, mas ela não respondia, até que finalmente, no terceiro dia, Charlie a obrigou a falar com ele. O garoto contou que Dahlia havia entendido errado, que aquela garota era só uma amiga que resolveu brincar. Após horas conversando, resolveram ser só amigos, mesmo, que seria melhor daquele jeito. E assim foi. Quando se encontraram novamente, nas férias de inverno de 2024/2025, no sexto ano dela, trataram-se com receio por alguns dias, mas logo tudo foi ficando mais natural. Entretanto, no final das férias eles não resistiram e acabaram ficando novamente. E então tiveram sua primeira noite de amor. Mesmo assim, ela prometeu a si mesma que não criaria expectativas para não se decepcionar e ficar triste depois. Darius era um garoto bonito e provavelmente ficava com várias meninas em Hogwarts. Mas ela não perguntaria isso a ele.

No sétimo ano, Dahlia foi nomeada monitora-chefe. Teve um casinho com o monitor-chefe da escola, Omar Xavier, mas por pouco menos de um mês, apenas. Depois outro casinho com um garoto da Cobaea, Richard Hunter, mas também não durou muito tempo. E nada, nunca, passou de alguns beijos e troca de carinho, apenas.

Mais tarde, perto do final do ano, envolveu-se com Bruce Corrigan, capitão do time de quadribol da Cobaea. No baile de formatura, ela foi coroada Rainha do Baile ao lado de Bruce, com quem tinha ido. O garoto tinha planos para aquela noite com Dahlia e ela só descobriu isso depois que ele tentou forçá-la a ficar com ele, mas Dale e um colega impediram que acontecesse. Por causa desse acontecimento, Dahlia ficou um pouco traumatizada com a possibilidade de ficar com novos homens.

Nas férias daquele verão, ela e Darius ficaram novamente, mas apenas poucos dias antes dele voltar para Hogwarts para seu último ano de colegial, e ela ir para Moana Akamai, a universidade que tinha escolhido para cursar. Decidiram não começar nenhum relacionamento sério. Ficariam se tivessem vontade quando se encontrassem novamente. Mandariam notícias um para o outro, como sempre foi, e deixariam que o destino cuidasse disso.

Resolveu que ia estudar Astronomia e para não ficar muito longe da família, escolheu Moana Akamai, a universidade havaiana. Adorou o lugar, fez alguns amigos, mas descobriu que o curso não era exatamente o que ela esperava. Gostava de Astronomia, mas não queria fazer disso sua carreira. Assim que terminou o primeiro ano, Darius e Rachel estavam se formando e então decidiram ir estudar na Sileas College, na Irlanda. Dahlia pediu transferência e acabou mudando de curso ao chegar lá, escolhendo Psicomagia. Darius convenceu Henry a estudar também e, os quatro juntos, mudaram para Faoinrún.

Ficou encantada pela ilha. Tudo era muito diferente de Moana Akamai, melhor em alguns aspectos, pior em outros. Apaixonou-se de imediato pelo curso. Adorava os professores, o clima de Faoinrún, a energia dos colegas, tudo. E o mais importante, estava perto de Darius, Henry e Rachel. Ficava eventualmente com Dadi, sem nenhum compromisso, e a amizade com Henry ficava mais forte agora, que conviviam quase que diariamente.

Logo no primeiro ano foi aprovada na fraternidade Kneazle. Fez amigos, independente de fraternidade, por ser sempre muito querida com todos. Despertou algumas paixões, também. E se envolveu com alguns rapazes, mas nada sério. Ainda tinha bastante receio em confiar em outro homem novamente.

No ano seguinte, Dale se formou em Salem e não pensou duas vezes antes de se matricular em Sileas para ficar perto da irmã e dos amigos. No mesmo ano, Leyla também entrou na faculdade.

Dahlia nunca foi a universitária mais festeira, mas sempre ia às festas quando Darius, Rachel, Henry, Leyla e Dale a arrastavam e até que se divertia bastante, apesar de ficar resmungando que tinha que estudar, terminar algum trabalho, acordar cedo, etc, etc, etc.

Nas férias de verão entre o primeiro e o segundo ano trabalhou no Winged Horse Camp como monitora. Adorou estar lá, cavalgar, cuidar e brincar com as crianças, então no ano seguinte trabalhou lá também. Tornou-se bem amiga de Líle Carmichael, proprietária do acampamento.

Em meados de 2029, passou a encontrar e passar muito mais tempo com Henry e, no natal daquele ano, eles quase se beijaram. Dahlia ficou muito confusa, mas a vontade de ficar com ele era imensa. Então, acabaram ficando. E foi forte e intenso. Foi como se Henry tivesse quebrado o muro que ela construiu por tantos anos, querendo vê-lo apenas como amigo, em um segundo. Depois disso, seu relacionamento com Darius foi ladeira abaixo. Foi a fase mais sombria da sua vida. Estava apaixonada por dois dos seus melhores amigos e certa de que jamais poderia casar com nenhum deles. Então descobriu a gravidez e junto dela, veio a dúvida. Não sabia quem era o pai do bebê, Darius ou Henry. Mas estava feliz, afinal, um dos grandes sonhos da sua vida sempre foi ser mãe. Descobriu que Alexandra Varanese também estava grávida, tendo a diferença de uma semana no tempo de gravidez, e ficou absurdamente feliz por aquilo.

Assim que criou coragem, contou a Darius. Ele ficou muito feliz, mas Dahlia não podia mentir e contou que não tinha certeza sobre o pai. Aquilo deixou Darius furioso e pela primeira vez na vida, ele gritou com ela. Eles discutiram e por fim, começaram a namorar no dia 03 de março de 2030. Ela não tinha certeza, mas não conseguiu dizer 'não' para ele.
Quando foi contar a Henry sobre a gravidez, ficou tão surpresa quanto quando ele também ficou feliz com a notícia, e tão desesperada quanto, quando contou que não sabia se ele era o pai. Naquela noite, após muito choro, acabou beijando Henry e se sentiu péssima por ter traído Darius, mas prometeu a si mesma que não aconteceria de novo, mesmo com seu coração partido por Henry. Mas sua promessa não durou muito tempo e ela voltou a trair o namorado com o seu melhor amigo mais uma vez antes do terrível acidente que deixou Darius completamente sem memória, no dia 06 de maio de 2030. E junto do acidente, veio o aborto. E a fase sombria estava só no começo.

Meses de angústia, indecisão e real tristeza se passaram. Henry sumiu por um tempo e depois reapareceu. Darius não lembrava de nada e de ninguém e Dahlia queria se afastar dos dois, para não causar mais dor a nenhum, e isso a deixava despedaçada.

Conforme o tempo passava, acabou voltando a ficar com Henry e decidindo se afastar de Darius, apenas. Queria que ele já estivesse acostumado à ausência dela quando voltasse a lembrar de tudo e, dessa forma, não sofresse mais por estarem longe. Mas não funcionou. Ela se sentia a pior pessoa do mundo todos os dias em que estava longe dele. Henry e Darius tinham voltado a ser amigos e, assim que Henry confirmou o que ela mais temia - que Darius não a amava mais - ela caiu definitivamente, e então se levantou novamente. Resolveu se reaproximar dele, ser a amiga que, ela sabia, ele teria sido se a situação fosse inversa. Percebeu o quão egoísta e covarde estava sendo ficando longe dele, sem ajudá-lo a lembrar de nada. Então se reaproximaram, mas a relação dos dois era muito diferente da que tinham antes. Agora, silêncios constrangedores e intermináveis eram comuns, e sempre havia um clima de tristeza quando estavam juntos. Mesmo assim ela permaneceu ao seu lado, tentando em vão ser forte, mas chorava todos os dias de saudade, arrependimento, culpa e tudo mais.

Nas férias de verão de 2030 as coisas ainda estavam caóticas, mas aos poucos caminhavam para voltar aos eixos. Então, no dia 28 de julho, Dahlia e Darius se beijaram no Haras. Isto desencadeou as lembranças dele relacionadas à ela, mas Darius resolveu não contar e fingir que ainda não sabia quem ela era. Naquele dia, Dahlia percebeu que realmente havia perdido seu grande amor e decidiu que o esqueceria.

Viajou com Henry e passou muito tempo com ele, mas nas Olimpíadas teve de reencontrar Darius e ficar perto dele e Henry ao mesmo tempo, e isso a fez sentir péssima. É claro que um acontecimento solto em meio aos caos quase não foi notado por ela, e esse acontecimento foi, talvez, o mais importante de sua vida: conhecer Kimo Keanu. Eles apenas se cruzaram num dos estádios sede das Olimpíadas Bruxas de 2030 e ele a colocou nos ombros para ver o show de abertura de Mike Valentine... e foi apenas isso. Depois do show, cada um foi para o seu lado e Dahlia imaginou que nunca mais fosse vê-lo.
Naquela mesma noite, terminou tudo com Henry e se afastou dele, prometendo que esqueceria Darius para então poder ficar com Henry inteiramente. Talvez tenha sido a pior ideia que ela já teve, pois por esse motivo Dahlia entrou em depressão. Passou muito tempo sozinha e chorava todos os dias, por tudo. Sentia-se sozinha e, de alguma forma inconsciente, queria se punir por ter feito os meninos sofrerem tanto.

Então no dia 20 de setembro teve o primeiro sinal da doença que herdou de seu pai biológico, Eric. A doença se chama Transtorno Obliviativo de Identidade e, precisamente por ser rara, é pouco estudada e pode se apresentar de diversas formas: perda de memória dissociativa, fobias, ataques de pânico, agressividade, alteração nas funções sexuais (altamente efetivas ou inoperantes), cefaléias, blackouts, instabilidade emocional e, nos piores casos, desrealização, despersonalização, colapso do ego e suícidio. A doença é genética, porém não é dominante, de forma que pode ou não ser passada para os descendentes.
Naquele dia, Dahlia tentou subconscientemente se matar, mas Rose (uma segunda personalidade) surgiu para salvá-la. E foi apenas a primeira a aparecer. Lavender veio alguns dias depois e parecia ser a parte de Dahlia que era loucamente apaixonada por Henry e faria qualquer coisa para agradá-lo, até mesmo se drogar ou dançar a noite toda num bar. Bluebell (ou apenas Blue) apareceu no mês seguinte. É a personalidade auto-destrutiva e a mais perigosa. E por fim, Tulip, a parte apaixonada por Darius.

Por algum tempo, ninguém sabia o que estava acontecendo com Dahlia, nem ela mesmo. Sumia por algumas horas ou até mesmo alguns dias, então acordava em algum lugar sem lembrar de nada do que tinha acontecido. A primeira vez que isso aconteceu foi em 21 de setembro de 2030. Acordou numa cama do Hotel Proinsias, em Faoinrún. Estava nua e, para sua surpresa, ao lado de Kimo. Vendo-a confusa, ele explicou que na noite anterior eles se encontraram na rua, ele a reconheceu, mas ela se apresentou por outro nome e, juntos, foram até o Basilisc Night Club. Beberam, se beijaram e acabaram a noite ali. Dahlia pediu desculpas e se sentiu tão mal por não lembrar que a única coisa que queria era sair dali o quanto antes. Kimo não entendeu nada, mas concluiu que ela devia ter tomado alguma droga no dia anterior.
Por conta dessa mudança de personalidade, Dahlia perdeu o nascimento de Mateo Varanese, seu primeiro afilhado, filho de Alex e Caleb, o que a fez sentir ainda pior.

Situações como essa voltaram a se repetir inúmeras vezes, com homens diferentes. Mas nem sempre ela acordava nua na cama de alguém. Já acordou na rua, deitada no chão. Já acordou no quarto da sua própria casa, sem ter ideia de como chegara lá. No seu quarto na Kneazle e em lugares desconhecidos.

Seu relacionamento com Henry e Darius ainda estava bambo e algo começava a nascer em relação a Kimo. Ele havia se aproximado por preocupação e Dahlia sentia que podia confiar nele. Logo já tinha contado sua vida toda para o paciente amigo, que logo se tornou mais do que amigo. Kimo sempre se mostrou solicito e prestativo, gentil e amável. Convidou-a para passar algum tempo na casa dele em Nani 'aina e eles mantinham contato por MalCard frequentemente. Quando se encontravam, acabavam trocando alguns beijos e carícias, mas não passava disso.

Aos poucos seu relacionamento com Henry foi ficando mais tranquilo e até a amizade com Darius começava a ganhar força. No dia 5 de dezembro de 2030, Henry e Dahlia começaram a namorar oficialmente e as coisas pareciam estar voltando aos eixos devagar.

Porém, no aniversário de Darius, Dahlia foi entregar seu presente, eles conversaram sobre a situação deles e Darius acabou admitindo que lembrava dela e ainda a amava. Os dois se beijaram e, mais uma vez, ela se sentiu terrível por trair o namorado. Prometeram tentar resolver aquilo de uma forma que desse certo para os três, mas não houve tempo. Veio a Peste Letárgica. Daren, Dale e Charlie foram afetados pela doença e, naquele dia, Dahlia mudou e sumiu por quase um mês inteiro.
Reapareceu apenas no dia 22 de janeiro de 2031, na casa de Kimo na Irlanda, sem motivo aparente. Ela tinha um ferimento fundo no pulso, que sangrava e não parava de chorar. Kimo a levou para o hospital e Charlotte foi avisada.

Foi um período curto em que Dahlia não era ela mesma. Os dias iam passando e se repetindo e ela não tinha vontade de fazer nada, nem de sair da cama. Darius, Rachel, Kimo e os outros iam visitá-la às vezes, mas nada a ajudava a ficar feliz. Ou triste. Ou sentir qualquer coisa que não fosse apenas o vazio.
Henry era o único que não falava mais com ela, nem aparecia. Dahlia mandava mensagens no MalCard dele às vezes, mas ele respondia curtamente e horas mais tarde. Quando ela pedia para vê-lo, ele dava desculpas. Sendo assim, a última vez que viu Henry pessoalmente foi em 10 de fevereiro, num encontro casual quando ele foi para Fargowood.
Então, no dia 11 de fevereiro, ela conseguiu sentir de novo. Numa visita que fez a Kimo, eles acabaram ficando e era a melhor sensação que ela tinha em muito tempo.

Ela e Darius se encontravam às vezes, mas ele estava distante. Passaram o dia dos namorados juntos e foi ótimo, mas ela sabia que algo sempre faltaria enquanto estivesse com ele ou com Henry. Decidiu, de uma vez por todas, que não procuraria mais os meninos, que ficaria longe e que, dessa forma, os três conseguiriam superar uns aos outros e serem felizes. E assim o fez.

Uma guerra bruxa explodiu no início daquele ano e Dale se alistou para lutar contra os russos. Dahlia ficou uma fera com Charlie por ter apoiado a ida do irmão para o campo de batalha. Dias se passaram até que Darius viesse ver como Dahlia estava, prometendo cuidar dela enquanto Dale estivesse fora. Ela já estava irritada por Dale tê-la enganado e ficou ainda mais quando Dadi veio falando aquelas coisas e defendendo o amigo. Mandou-o embora e pediu que nunca mais voltasse. Sem muita surpresa, foi exatamente o que ele fez e nunca mais o viu ou falou com eles desde o dia 31 de abril.

Dahlia estava decidida a tocar sua vida. Não podia sair de casa e deixar a mãe sozinha agora, com Daren ainda dormindo pela Peste Letárgica e Dale na guerra. Então arranjou um emprego na floricultura da cidade, a Pulteney Bridge Flower Shop. Decidiu também que tomaria as poções para controlar suas personalidades definitivamente, mesmo que tivessem efeitos colaterais. E seguia ficando com Kimo de vez em quando, quando eles se encontravam.
E foi nessa mesma época que descobriu a gravidez. Não sabia quem era o pai, já que só tinha relações sexuais com Kimo, mas as datas tornavam impossível que o filho fosse dele. Concluiu então que aquilo havia acontecido enquanto Rose ou alguma outra das suas personalidades assumiu seu corpo. Não quis saber. Aquele bebê seria só dela e foi o que a motivou a continuar. De repente, toda sua vida foi focada naquele bebê, nada mais além disso, importava.

Descobriu que seria uma menina e logo a batizou de Anita, sem motivo aparente.
Convidou Rachel e Kimo para serem os padrinhos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Vida
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Eu desisto da minha vida...
» Nintendo Direct Amanhã
» Dúvida - Lord of the Rings - LCG
» Dúvida - Pandemic
» Eclipse - Dúvida

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Wizard Kids :: Heibel :: O' THOLLE, Dahlia-
Ir para: