InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 MONAGHAN-KRÖEFF, Anika

Ir em baixo 
AutorMensagem
Heibel

avatar

Feminino Câncer Cobra
Idade : 28
Mensagens : 27

MensagemAssunto: MONAGHAN-KRÖEFF, Anika   Seg Jan 27, 2014 5:05 am

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Nome: Anika Monaghan-Kröeff (O'Rowth)
Apelido: Nika, Ni
Data de Nascimento: 31 de maio de 2013
Local de Nascimento: Amharcloch, Faoinrún
Raça: Sangue-Puro
Sexo: Feminino
Sexualidade: Heterossexual
Estado Civil: Divorciada
Idiomas: Irlandês (língua mãe), inglês (aprendeu desde muito pequena, considerando mais sua língua principal do que o irlandês) e alemão (sabe alguma coisa por causa do pai)
Patrono: Corça. É normalmente um animal de hábitos solitários, preferindo realizar suas atividades durante o nascer e o pôr-do-sol
Bicho-Papão: Vassoura. Como tem medo de altura, sempre se vê em cima de uma vassoura e, eventualmente, caindo dela
Varinha:
  • Madeira: Pinheiro
  • Cerne: Pêlo de Unicórnio
  • Tamanho: 10,31'' (26,2cm)
  • Flexibilidade: Flexível



A escolha da sua varinha foi algo muito simples. Anika não encarava o Sr. Olivaras, nem falava com ele quando ele perguntava alguma coisa. Percebendo o jeito tímido da menina, não houve duvidas. Trouxe uma caixinha preta, bonita, nova, e tirou de lá uma bela varinha de Pinheiro, entregando-a a ela. A menina apenas encarou a varinha e sorriu, então fez um leve movimento com ela, como se já soubesse o que fazer com a varinha, e uma margarida amarela surgiu. Olivaras riu e piscou para Anika. "Ela será sua grande companheira", ele falou.
Anika sentiu uma forte ligação com a varinha desde que a tocou pela primeira vez e os feitiços silenciosos saem tão perfeitos quanto os verbais.


VIDA
Anika nasceu em decorrência do "Escândalo Firewhiskey" de 2012, portanto não foi planejada. Viveu na Mullagh Street, Amharcloch, em Faoinrún, por toda a sua infância e adolescência.

Seus pais eram agentes das Forças Mágicas Faoinrúnenses e seu pai era também músico, tendo uma banda de sucesso há vários anos, a The Hexenmeister.

Richard já tinha uma filha quando descobriu a gravidez de Lily. Gabrielle Depailler Kröeff, filha dele com Claire Depailler, tinha já cinco anos quando Anika nasceu.

Pouco mais de dois meses após o nascimento dela, Lily engravidou novamente e em março de 2014 os gêmeos Quora e Lukács nasceram.

Sempre odiou Gabrielle por puro ciúme do pai. Já pelos irmãos teve sempre um amor incondicional.

Anika estudou na Escolinha de Magia Pelúcio Mágico durante a infância, mas não tinha muitos amigos. Além de uma garotinha chamada Valerie Salcedo, não conversava com mais ninguém. Sempre foi uma criança meio excluída, solitária e tímida. Brincava sozinha e tinha até amigos imaginários. Por conta das idades próximas, Quora era praticamente a única amiga dela.

Desde muito cedo os pais notaram que ela tinha problemas para se relacionar com outras crianças e até parecia triste e solitária, às vezes. Por esse motivo, Lily procurou por um psicomago e Anika frequentou algumas sessões por uns dois anos, dos sete aos nove. Melhorou um pouco, mas continuava tímida e retraída.

Seus primeiros sinais de magia começaram a aparecer somente aos seis anos, um pouco mais tarde do que a média das crianças bruxas.

Nunca se interessou por quadribol, tinha até certo medo de altura e nunca tocou numa vassoura até o primeiro ano em Hogwarts.

Desde que aprendeu a escrever, recorre a isso quando se sente sozinha, ou feliz, ou triste, então desenvolveu o hábito de escrever diários. Tem um caderno mágico onde escreve todos os dias desde que tinha nove anos de idade.

Aos onze anos, sem surpresas, Anika foi convidada para estudar em Hogwarts e selecionada para a Lufa-Lufa, como sua avó materna. Como de costume, não fez muitos amigos. Sabendo que ela se sentiria sozinha, Lily e Richard a presentearam com uma gatinha que Nika chamou de Pixie.

O primeiro ano na escola foi bastante difícil para ela. Anika sentia saudades absurdas dos pais e dos irmãos e chorava sem parar nas primeiras semanas, querendo voltar para casa. Depois, se conformou. Logo nos primeiros dias passou pelo trauma de ter aulas de Vôo, as quais odiava, pois morria de medo de altura. Virou alvo de piadas dos colegas por algum tempo, mas logo todos esqueceram ou não viam mais graça em brincar com aquilo. O professor da matéria, Oliver Wood, foi o grande responsável por fazer com que as piadinhas não continuassem, mostrando que aquilo não era brincadeira, entendendo o medo da menina e dando uma colher de chá por isso. Por esse motivo Anika não sabe voar muito bem, sai do chão alguns centímetros, no máximo.

No segundo ano, Quora e Luka começaram a estudar lá também e as coisas melhoraram um pouco. Nika passava mais do seu tempo escrevendo no seu diário pelos cantos de Hogwarts, do que fazendo qualquer outra coisa.

No terceiro ano ficou um pouco mais sociável e conversava com as pessoas no almoço ou no jantar. Durante as aulas ainda sentava nas mesas mais longe possível dos professores e mesmo assim morria de medo que eles chamassem seu nome.

No quarto ano, atrasada para uma aula, acabou derrubando seus livros nas escadas e Jasper O'Rowth a ajudou a recolhê-los. Não precisou de nada mais do que um sorriso para que ela se apaixonasse. Passou então a nutrir uma paixão platônica e secreta enorme por ele, mas ele parecia nem notá-la.

No final daquele mesmo ano acabou beijando Drake Thorkwind. Não pareceu errado ou ruim, mas por ser insegura foi se afastando dele, achando que ele não ia querer nada mais do que amizade com ela. E acreditando mesmo nisso, ficaram mais amigos do que eram antes do beijo, mas nunca foram muito íntimos.

No início do quinto ano beijou Owen Greenleaf "sem querer", como costuma dizer. Estavam conversando, ele fazendo piadinhas e investindo, tentando ficar com ela, mas Anika era escorregadia. Então ele conseguiu enrolá-la e roubou um beijo, mas logo um dos monitores os viu e ela aproveitou a deixa para sair correndo, literalmente. Surtando quando chegou na Lufa-Lufa, Ivy Zavarov-Hellier ficou preocupada e as duas começaram a conversar sobre o ocorrido. Do surto/desabafo surgiu uma amizade super forte. De repente as duas faziam tudo juntas: almoçavam, iam às aulas, jantavam, faziam tarefas e aprontavam, por mais que Anika sempre ficasse nervosa e só se deixasse levar pelas brincadeiras da outra. Ivy era bissexual, mas a informação não teria abalado a amizade delas se a menina não tivesse beijado Anika perto das férias de natal. Confusa, por achar Ivy linda e ter gostado muito de beijá-la, se afastou também e passou a evitá-la a todo custo.

No final do quinto ano, na viagem de verão, ficou com Jasper, para sua enorme alegria. O primeiro beijo deles foi considerado o momento mais feliz da vida dela por muito tempo. Passaram quase as férias todas juntos, ela na Pyxis Village ou ele em Faoinrún. Richard ficou muito nervoso com a presença do garoto e surtou quando Anika contou que eles estavam namorando, por ciúme, mas não proibiu ou nada do tipo. O namoro deles começou no dia 13 de agosto de 2029. Mesmo namorando, ambos eram muito tímidos um com o outro e o relacionamento acabou não vingando pela falta de intimidade. Jasper já tinha admitido querer fazer amor com ela e Anika simplesmente não se sentia preparada, tendo muito medo de decepcionar o pai, mas principalmente, morrendo de vergonha do namorado. Conversaram e decidiram terminar no dia 02 agosto de 2030, pouco antes de completarem um ano de namoro. E apesar de ainda gostar de Jasper, se sentiu aliviada quando terminaram, pois não precisaria mais se sentir "pressionada" a perder a virgindade.

Cerca de dois meses depois, no dia 12 de outubro de 2030, Lily foi assassinada. Anika levou um choque e tanto quando a mãe morreu e isso só a fez se fechar ainda mais. Agora nem mesmo com a família conseguia se abrir.

Então a Peste Letárgica atingiu a Europa. Jasper, como muitos outros bruxos, foi infectado e entrou em coma no dia 23 de dezembro de 2030. Anika o visitou no hospital algumas vezes, mas não deixou isso se tornar um hábito.

As aulas recomeçaram e ela focou bastante nos estudos. Tinha a companhia de Pixie e para ela bastava.

Em janeiro de 2031 a I Guerra Mundial Bruxa explodiu.

No dia 15 de março de 2031 Jasper acordou. Anika ficou feliz por ele e pelos O'Rowth, e no dia seguinte foi visitá-lo na Pyxis. Mesmo que não fossem mais namorados, ainda tinha um carinho muito grande pelo garoto. Chegando lá foi surpreendida por um pedido de casamento. E aceitou. Na época lhe pareceu uma ideia absurdamente certa e aquilo a fez sentir super feliz, como já não sentia havia tempos. Jasper e Anika se casaram às pressas no dia 17 de março de 2031, escondidos de todo mundo - menos dos O'Rowth, que ajudaram com a cerimônia.

A menina só conseguiu encarar o pai e a família cerca de duas semanas depois. Richard foi compreensivo com ela, o que a deixou bastante surpresa e alegre.

O casal não teve lua de mel, e só foram ter coragem para transar no dia 30 de março.

No dia 15 de maio daquele ano veio a notícia que todos temiam: o alistamento obrigatório de jovens ingleses entre 17 e 24 anos. Jasper foi convocado e Anika resolveu se voluntariar para ir para a frente de batalha junto dele. Sempre foi boa com feitiços de ataque e defesa, e até sabia alguma coisa sem usar a varinha, tudo ensinado pela mãe desde que ela era muito pequena, para a própria proteção da menina, que era filha de duas pessoas importantes em Faoinrún. Ela foi aceita sem duvidas, mesmo com o avô, Liam Monaghan, tentando impedir a ida dela pela influencia que tinha no Ministério.

Partiram para o Campus Potter. Jasper ficou com a parte de enfermaria, então não ia para as batalhas, o que deixava Anika mais tranquila.

Ela foi selecionada para a Castlehoud Division, cadete da Tropa Ace 777 junto com o primo Douglas Monaghan. Nesse período eles se aproximaram bastante e se ajudaram bastante nos treinamentos.

E então no dia 03 de julho, na primeira batalha real que participou (aquela que ficou conhecida como "Combates em Dover"), Doug morreu sem que Anika nada pudesse fazer para ajudá-lo. Para ela, a guerra começou ali. Foi naquele momento que percebeu onde realmente tinha se metido e que aquilo era de verdade. Que se não matasse, ia morrer, simples assim.

Na próxima batalha que participou, no dia 09 de julho (Batalhas dos Três Pontos) estava mais determinada e corajosa. Não queria morrer e, mesmo tendo lançado alguns Avada Kedrava, não acha que tenha acertado ninguém. Os feitiços que lançava eram mais paralisantes e para desacordar. Os conflitos aconteceram em três cidades e apenas aquela onde ela lutava, Southamptom, saiu vencedora aquele dia.

A vida seguiu na base. Anika estava mais quieta e focada nos treinamentos. Mal conseguia ver ou conversar com Jasper graças aos horários deles, que não batiam.

No dia 14, então, aconteceu "A Batalha de Hogsmeade", a maior que o Reino Unido já viu. Anika estava lá, lutando. Eles perderam e tiveram que fugir de volta para o Campus Potter, que foi atacado e dominado no dia 17. Anika se feriu nesse ataque e Caleb McCartney foi quem a salvou e a levou até a Pyxis. Se não fosse por ele, ela provavelmente estaria morta.

Depois de tudo isso, por algum tempo Anika ficou com um leve estresse pós-traumático. Depressão, ansiedade, insonia e medo das coisas. Mas Jasper conseguiu ir fazendo ela melhorar aos poucos e logo passou.

Eles estavam quase confinados na Pyxis e a garota viu seu pai e seus irmãos muito pouco nessa época, pois era perigoso sair dali.

Ainda no segundo semestre de 2031 conheceu Rube Lupin, filho bastardo de Orion Elvendork. Só foram ter oportunidade de conversar algum tempo depois dele ter chegado na Pyxis, e se sentiu absurdamente atraída por ele. É claro que ela sufocava qualquer tipo de sentimento, afinal era casada e amava Jasper. Mas cada vez que via ou encontrava Rube, era um conflito a mais dentro dela. Principalmente quando ele a elogiava e se mostrava tão interessado quanto ela.

Os meses foram passando. Sem quase perceber, Anika e Jasper começaram a se afastar e algumas discussões começaram a acontecer. Não chegavam a virar brigas, mas eles se chateavam um com o outro frequentemente. Para ajudar, por serem tortos e tímidos, mal se tocavam. Anika não queria admitir, mas queria sim transar, só não tinha coragem nem sabia como dar o primeiro passo. E nas poucas vezes que eles aprofundaram aquele beijo ou aquele toque, era algo tão automático e - por que não? - frio, que a experiência não era tão agradável. Ela tentava e sabia que Jasper estava tentando também, mas eles simplesmente não tinham muito a oferecer um ao outro nesse sentido.

Depois de várias tentativas frustradas de fazer o casamento dar certo, Anika resolveu conversar com o marido. Se abriu e juntos decidiram, em fevereiro de 2032, que iam dar um tempo para pensar e analisar a situação deles. Ninguém mais sabia disso, para a família e os amigos eles disseram que ela ia passar um tempo em Faoinrún com os Kröeff, apenas.

E enquanto estava na casa da família, a guerra foi se intensificando até que a ilha foi atacada. Lutou ao lado do pai por alguns dias, e então fugiu com os parentes. Esconderam-se por um tempo e Anika mal tinha notícias do mundo. Quando soube que a Pyxis foi atacada também, tentou ir para lá para ajudar as pessoas, mas foi impedida. Alguns dias depois soube que Jasper e os O'Rowth estavam bem e ficou mais aliviada. Ainda ficou algumas semanas meio angustiada, até que recebeu a confirmação de que Rube também estava bem.

Continuou escondida até pouco antes do fim da guerra. Pediu o divórcio oficial a Jasper e resolveu sair da Europa em julho de 2032. Precisava de ar fresco e, mesmo estando em família, não se sentia mais a vontade ao lado do pai e dos irmãos. Viajou para a América do Sul, onde viveu por alguns meses viajando de um país ao outro, de uma cidade a outra. Visitou até alguns lugares trouxas, por curiosidade. Conheceu pessoas novas e até se envolveu romanticamente com alguns rapazes pelo caminho. Mantinha certa comunicação com Jasper e a família, mandando cartas de vez em quando. Com Rube, perdeu completamente o contato.

Quando soube da universidade bruxa, começou a pensar sobre voltar e estudar lá.


RELACIONAMENTOS
Lily Bryce Monaghan: Mãe. Neozelandesa, sangue puro. Trabalhava para as Forças Mágicas Faoinrúnenses e chegou a ocupar o maior cargo dentro da guarda: Marechal. Morava com Richard e os filhos em Faoinrún, mas nunca casou com ele. Anika era carinhosa com a mãe, conversava bastante com ela, mas não falava muito sobre garotos e coisas assim, tendo vergonha. Lily, por outro lado, tentava fazer com que a filha fosse mais sociável e se preocupava muito com ela, achando que às vezes Anika parecia muito triste. Sugeriu algumas vezes que ambas procurassem um psicomago ou algo assim, mas pela timidez da garota, acabaram só frequentando um durante a infância da filha, antes dela entrar em Hogwarts. Lily morreu em 12 de outubro de 2030, com 43 anos.

Richard Audrich Kröeff: Pai. Alemão, sangue puro. Trabalha para as Forças Mágicas Faoinrúnenses e é músico, vocalista da banda The Hexenmeister. Morava com Lily e os filhos em Faoinrún, mas nunca casou com ela. Anika tem pelo pai um amor e ciúme muito grandes. Não gosta de vê-lo com as fãs ou com Gabrielle e Claire. Queria que os pais se casassem, mas se conformou na adolescência que isso jamais aconteceria, culpando o pai por isso mesmo que Lily e Richard já tenham explicado mil vezes que é uma decisão dos dois. Não deixa de amá-lo e respeitá-lo mesmo assim. A relação dos dois ficou um pouco abalada após a morte de Lily e do casamento com Jasper, mas sempre que pode, procura saber como ele está.

Quora Isabelle Monaghan Kröeff: Irmã mais nova. Nasceu em Faoinrún, gêmea de Luka, pouco menos de um ano mais jovem do que Anika. Eram, próximas, conversavam bastante e talvez fosse a única amiga verdadeira de Anika. Mesmo assim, como com Lily, Anika tinha vergonha de conversar sobre garotos e esse tipo de assunto, então sempre dava um jeito de se esquivar das perguntas. Depois da morte da mãe elas se afastaram muito.

Lukács Tenebrus Monaghan Kröeff: Irmão mais novo. Nasceu em Faoinrún, gêmeo de Quora, pouco menos de um ano mais jovem do que Anika. Estudava em Hogwarts pela Sonserina. Anika e ele sempre foram meio distantes, apesar dela o amar em absoluto. Eles conversavam às vezes e Anika ficava super sem graça com as poucas demonstrações de ciúme dele, mas relevava e até achava bonitinho ele se preocupar dessa forma. Temia que as amizades sonserinas dele o influenciassem, por sempre ter ouvido brincadeiras e provocações dos sonserinos, mas não falava nada para não parecer chata. Depois da morte da mãe, Anika e ele se afastaram ainda mais.

Gabrielle Depailler Kröeff: Meia-irmã mais velha. Filha de Richard e Claire Depailler Giovannardi. Anika nunca gostou dela por puro ciúme do pai, então nunca deu uma chance para conhecer a garota realmente. Depois da morte de Lily, nunca mais nem sequer falou com Gabrielle.

Katherinne Marie Audrich Kröeff: Tia. Irmã mais nova de seu pai. Sempre a viu como uma doida, principalmente sendo influenciada pelo jeito como Richard a chamava e tratava. Gostava dela, mas nunca foram muito amigas.

Valerie Salcedo: Cresceram juntas em Faionrún, então se conhecem desde sempre, mas nem são super amigas e confidentes.

Drake Thorkwind: O conhece de Faoinrún e já ficaram uma vez, no final do quarto ano dela. Foi seu primeiro beijo.

Owen Greenleaf: Já o beijou uma vez, "sem querer", como ela costuma dizer.

Ivy Zavarov-Hellier: Eram da mesma casa e do mesmo ano em Hogwarts, mas nunca foram amigas até meados do quinto ano. Por alguns meses foram inseparáveis. Iam às aulas juntas, almoçavam juntas e Anika finalmente tinha alguém para conversar e se divertir. Mas então Ivy a beijou e Nika ficou super confusa, se afastando dela. Depois as coisas melhoraram entre elas, mas nunca mais voltaram a ser realmente amigas.

Jasper O'Rowth: Desde o início do quarto ano tinha uma super, ultra, mega paixão platônica por ele só porquê ele foi legal com ela um dia, ajudando a juntar os livros que ela derrubou. Na viagem de férias entre o quinto e o sexto ano se beijaram e pouco tempo depois, no dia 13/08/2029, começaram a namorar. Casaram em 17/03/2031 às escondidas de todo mundo - menos da família dele, que ajudou na cerimônia. Divorciaram-se em 04/07/2032.

Rube Lupin: O conheceu em 2031, quando a I Guerra atingiu Mônaco, onde ele morava, matando sua mãe, e ele se viu obrigado a ir para a Pyxis Village para ficar com seu pai biológico, Orion Elvendork. De cara Anika se sentiu super atraída por ele, mas sufocou qualquer sentimento que pudesse ter, afinal era casada.


PERSONALIDADE
Por ser tímida, sorri pouco e não olha diretamente nos olhos das pessoas por muito tempo, logo desviando o olhar para outro lugar. Cora com facilidade e morre de vergonha de tudo, seja do que escreve, do que fala ou do que faz. Por isso tenta não se fazer notada e o normal é não lembrarem o nome dela.

É quieta, mas isso se aplica apenas a pessoas que ela não conhece ou não tem intimidade. Com a família ela é bastante prestativa e querida. Não costuma falar muito com ninguém, de qualquer forma, a não ser quando está nervosa ou ansiosa, aí dispara a falar e não pára mais.

Quando criança, era pequena e magricela, o que gerou vários apelidinhos das outras crianças como "palito", "vara" e "esqueleto". Por esse motivo tem um leve complexo até hoje e acha seu corpo muito feio, mesmo que já tenha crescido e o desenvolvido.

Ainda criança, por ser sempre tímida e ter poucas pessoas com quem conversar e brincar, tinha amigos imaginários. Os mais velhos e/ou maldosinhos sempre implicaram com ela por ser esquisita, o que já rendeu muito choro da parte da menina. Nunca brigou com ninguém, então sempre ouviu as brincadeiras e provocações dos outros em silêncio.

Adora escrever e decidiu muito cedo que queria ser jornalista. Tinha muitos planos para o futuro, entre eles cursar Sileas e trabalhas n'O Profeta Diário, mas além de não compartilhar seus desejos com ninguém por vergonha, todos os planos foram por água abaixo com a I Guerra Mundial.

Aos nove anos criou o hábito de escrever em um diário e sempre é vista com ele para cima e para baixo. Escreve nele quando tem qualquer tempinho livre, sem deixar ninguém vê-lo por motivos óbvios. Somente ela consegue abrir o diário, que é fechado com um feitiço e é preciso uma senha para abri-lo.

Era romântica e sonhadora. Apaixonou-se perdidamente por Jasper O'Rowth tempos atrás só por ele tê-la ajudado a juntar os livros que derrubou nas escadas. Por mais que gostasse dele, não falava para ninguém e sempre tentava fugir quando o via. Achava que ele nem a notava, então tentava ser realista e deixar para lá. Uma das maiores felicidade da sua vida foi quando eles se beijaram pela primeira vez, na Nova Zelândia, nas férias entre o quinto e o sexto anos.

Em meados do quinto ano foi beijada por sua amiga Ivy Zavarov-Hellier. Surtou e não falou mais com ela por um bom tempo, fugindo dela. Ficou em meio a uma crise, sem saber de quem gostava ou se gostava de meninas também, fazendo disso uma grande drama mexicano na sua cabeça e nas linhas do seu diário. Mas não demorou muito para essa fase passar.

A morte da mãe foi um divisor de águas em sua vida. Até ali, se considera uma pessoa, e a mulher que nasceu com a morte de Lily é outra Anika. Uma Anika ainda tímida e fechada, mas muito mais forte e corajosa. Tentava se espelhar em como Lily era para orgulhá-la mesmo depois da morte. Nesse processo de "renascer", acabou deixando o pai e os irmãos um pouco de lado, mas nunca perdeu o contato com eles completamente.

Mais tarde se arrependeu de ter casado. Mais velha e tendo passado por tanta coisa, percebeu como Jess tinha razão quando pediu que ela e Jasper esperassem mais antes de casar.


APARÊNCIA
É magra, com cerca de 56kg e tem 1,76m de altura. Seus braços são finos e longos, assim como as pernas. Não tem barriga e sua cintura e seios são bem marcados. Tem um corpo bonito e já bem desenvolvido para uma garota da sua idade, com curvas, mas morre de vergonha e o acha feio por desde pequena ter sido magrela.

Os cabelos são castanhos claros, quase loiros, bem compridos, grossos e ondulados. Geralmente está com eles soltos ou presos em tranças ou rabos, mas como prefere passar despercebida entre as pessoas, não faz nada que chame muito a atenção, mesmo gostando muito de variar os penteados.

Tem olhos verdes muito claros, muitas vezes confundidos com azul. Seu rosto é triangular e fino, com sardas clarinhas no nariz e bochechas. Sorri com pouca frequência por ser muito tímida, mas quando o faz, suas maçãs do rosto ficam levemente aparentes. Cora com facilidade e está com as bochechas rosadas quase o tempo todo.

Veste-se de forma discreta, mas sempre com roupas boas e de marca. Não gosta de decotes ou saias por não gostar de mostrar seu corpo, então usa roupas mais largas e que escondam mais seu corpo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
MONAGHAN-KRÖEFF, Anika
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Wizard Kids :: Heibel-
Ir para: